Brasileiros e Portugueses, colocando o dedo na ferida,a discussão na mesa:

Estereótipo definição Houaiss:

3.1 esse próprio padrão, ger. formado de idéias preconcebidas e alimentado pela falta de conhecimento real sobre o assunto em questão

3.2 idéia ou convicção classificatória preconcebida sobre alguém ou algo, resultante de expectativa, hábitos de julgamento ou falsas generalizações

Obs.: cf. preconceito

4 aquilo que é falto de originalidade; banalidade, lugar-comum, modelo, padrão básico

Estudo mostra visão estereotipada dos brasileiros entre portugueses

Jair Rattner

De Lisboa

link da bbc, reportagem de origem:

http://www.bbc.co.uk/portuguese/reporterbbc/story/2007/11/071120_imigracao_np.shtml

Uma pesquisa realizada na Universidade de Coimbra sobre a imigração brasileira em Portugal revela que, para os portugueses, a imagem das mulheres brasileiras está relacionada ao sexo e dos homens à falta de compromisso e à malandragem.

Para Benalva da Silva Vitório, autora da pesquisa, “a brasileira é vista como menina de programa”. Segundo ela, essa imagem está relacionada às campanhas de turismo promovidas fora do Brasil.

“Acredito que isso tenha começado por causa da Embratur, que vendia o Brasil como um lugar de praias bonitas e mulheres sensuais”, disse à BBC Brasil.

A Embratur afirma que “desde o início da década de 90 houve mudança radical na orientação da promoção internacional e, desde então, não se usa qualquer imagem desse tipo.”

Estereótipos

De acordo com a pesquisa, a imagem dos homens brasileiros também segue estereótipos e revela uma visão negativa.

“Os homens são vistos como malandros, que fazem muito barulho e não cumprem compromissos”, disse a autora.

O estudo é resultado da tese de pós-doutorado da brasileira Benalva Vitório. O estudo foi publicado no livro “Imigração Brasileira em Portugal – Identidade e Perspectivas” lançado em Lisboa em novembro .

A pesquisa ouviu 50 brasileiros em cinco regiões de Portugal – Lisboa, Porto, Coimbra, Braga e Algarve. Além das entrevistas, a autora pesquisou artigos veiculados na imprensa portuguesa sobre os imigrantes brasileiros e outras formas de representação de brasileiros no país.

Perfil

A pesquisa aponta ainda uma mudança no perfil dos imigrantes brasileiros em Portugal a partir da década de 90, quando, segundo a autora, a instabilidade econômica gerada pelo Plano Collor provocou a ida de muitos brasileiros de classe média e alta para Portugal. “Foi a época dos dentistas, publicitários e informáticos”, exemplificou.

Segundo ela, atualmente o perfil é diferente. A maioria dos imigrantes brasileiros trabalha na construção civil, no comércio, em restaurantes e no serviço doméstico e em atividades que não exigem qualificação.

A maioria dos brasileiros ouvidos na pesquisa afirmou que estaria morando em Portugal por pouco tempo. “Eles vêm fazer um pé-de-meia e vivem com a idéia de voltar. Todos se dizem passageiros da chuva”, diz a autora.

Choque cultural

De acordo com o estudo, os brasileiros que emigram para o país não conhecem a cultura portuguesa e pensam que, devido à língua, Portugal é como o Brasil.

Para Benalva, a falta de conhecimento dos brasileiros sobre Portugal se deve, em parte, ao ensino das escolas brasileiras. “Na escola, estuda-se até a independência. Passou de 7 de setembro de 1822, acabou. Não ensinam a geografia ou a história dos dois países”, afirmou a autora.

Ela conta que o primeiro choque cultural acontece ao chegar a Portugal, quando os imigrantes enfrentam as primeiras diferenças. Segundo a autora, muitos chegam sem noções básicas sobre a economia do país e sobre a tramitação necessária para se obter documentos.

“É muito difícil admitir que a idéia foi um erro, que não está dando certo. Por isso, os imigrantes se submetem a qualquer situação. Muitos vivem em condições mínimas de sobrevivência”, relatou Benalva.

Numa das entrevistas publicada no livro, um dos brasileiros, identificado pelas iniciais J.C., conta que passa a maior parte do tempo trabalhando. “Aqui a gente trabalha até 19 horas por dia”.

A pesquisa revela também que há diferenças no tratamento recebido pelos brasileiros e por imigrantes de outras nacionalidades de língua portuguesa, principalmente os de origem africana.

“No princípio, sinto-me rejeitado porque sou negro”, conta o brasileiro identificado como W.B. “Depois que eu falo e os portugueses percebem que sou brasileiro, isso muda. No trabalho, ao lado de angolanos, cabo-verdianos e moçambicanos, eu sou mais bem tratado do que eles, pelo fato de ser brasileiro”, admitiu.

Dois

Dois Comentários de brasileiros no site Opinião e Notícia, link:

http://opiniaoenoticia.com.br/interna.php?id=12962

Ivana:

Me inoja as colocaçoes que os portugueses fazem em relaçao oas brasileiros visto que a Historia conta que o TAL PEDRO ALVARES CABRAL, CHEGOU NO BRASIL SOMENTE PARA ROUBAR.ROUBOU O PAU-BRASIL, AS ESPECIARIAS, A CANA DE AÇUÇAR E O OURO BRASILEIRO.NA VERDADE PORTUGAL TROUXE SUA CULTURA PARA CÁ E DEIXOU SUAS SEMTES MALIGNAS EM NOSSO PAIS.QUE NOJO FALAREM E CRITICAREM OS BRASILEIROS.SERÁ QUE JA NAO É HORA DE VEREM O PROPRIO RABO?

Edvaldo Tavares:

LEMBRANÇAS DA INFÂNCIA NO RIO DE JANEIRO. Lembro-me, agora, dos idos saudosos do Rio de Janeiro. Infância nos anos de 1940, adolescência na segunda metade dos 1950 e os anos dos 1960, a perseguição torturante e frenética, através do vestibular, de uma vaga em faculdade pública de medicina. Na época, o comércio e, enfim, todo tipo de negócio, infestado e dominado de portugueses. A minha mãe pedia para eu e meus irmãos irem comprar carvão, lá íamos, eu, com uma bolsa à carvoaria do português comprar o carvão e, o mesmo roubava o garoto, eu e meus irmãos, no peso e no troco. A minha mãe pedia para eu ir a quitanda comprar legumes e, novamente, o garoto, eu, era ludibriado pelo português no peso e no troco. Quando ia ao armazém, era enganado na compra do feijão, do arroz, da farinha e do fubá e etc. Chegava em casa com as compras pesando menos e com troco faltando moedas. Esta é a impressão que eu tenho dos portugueses: “quando não rouba no peso, rouba no troco”. Agora, estão recebendo o resultado da cultura que implantaram no BRASIL. Os brasileiros que estão lá e que tanto os portugueses reclamam, são frutos da colonização deles, “COLONIZAÇÃO PORTUGUESA”. E, eles que se danem! Portugal e Espanha se sentaram e dividiram o mundo: da linha do Tratado de Tordesilhas para a direita seria de Portugal e à esquerda da linha, da Espanha. Brasileiros acostumados a ficarem de quatro, esta é a realidade. “BRASIL ACIMA DE TUDO”. EDVALDOTAVARES. MÉDICO. BRASÍLIA/DF.

Mulheres Portuguesas e Brasileiras

Vou colocar aqui o post da minha quase parceira portuguesa, Daniela.

Só o post, a discussão, inclusive com brasileiras (os) e portuguesas (os) e uma pequena contribuição dessa que vos fala, está lá no blog da Daniela, que não sei se ficará muito feliz com essa minha postagem, já que parece não aguentar mais ter que falar sobre isso. Mas foi um desabafo dela, então vou postar, sim.

Este é o link, com muita discussão lá a respeito, vale a pena:

http://behappypah.wordpress.com/2008/01/09/mulher-portuguesa/

Estou um pouco cansada e farta de ouvir falar mal das mulheres portuguesas. Talvez por ser uma que me sinto indignada com a generalização feita pelos homens, caracteristica essa típica do português idiota (homem ou mulher). O que tenho a dizer em minha defesa? É o seguinte. Eu nunca engatei uma gaja por isso não sei se a gaja portuguesa é mais díficil do que a espanhola, a belga ou a norueguesa mas tenho amigas e é disso que vou falar. Tenho amigas púdicas e ponto final. Púdicas ao ponto de eu me perguntar se não serem tarada sexual quando no fundo me considero perfeitamente normal. Mas também tenho amigas completamente abertas a nível sexual e que fazem piadas badalhocas sem qualquer problema nenhum. Que já fizeram muito sexo na vida porque assim é que tem de ser porque é giro e elas gostam… Já ouvi gajos a dizer que quando tentam engatar uma gaja num bar que elas são umas brutas e o caraças. Pessoalmente a única vez que fui particularmente bruta foi quando um brasileiro podre da bebado me estava a agarrar à força, e acho que tinha razão para tal. De resto fui sempre simpática e nunca despachei assim ninguém que tivesse sóbrio (sim porque bebados é logo uma biqueirada nos tomates :p). Isto falando da abordagem que os homens fazem às mulheres. Agora já vi amigas minhas a serem completamente brutas quando alguém se metia com elas. E até sei porque. Uma coisa é quando se mete conversa na paz e tal outra coisa é quando temos um gajo com ar de quem nos papava imediatamente ali com ar de porco a olhar para nós. O que não é nada atraente. Estou a fazer-me dificil? Não, estou só a ser selectiva. Neste ponto acho que me não me esqueci de nada.

Falando da beleza. Muito sinceramente há gajas mais giras e boas no Mundo mas também há gajas mais feias. Peço desculpa e não pretendo ofender ninguém mas fala-se muito na beleza das brasileiras… Sim, há brasileiras bonitas mas a grande maioria que vejo por ai “ai jesus me valha”. O que elas têm é atitude e o homem acha piada a isso sei lá. Agora serem mais bonitas? Mais uma vez, não quero ofender ninguém, estou aqui na paz e no amour :p Continuando. A mulher portuguesa está cada vez mais fashion e cuida mais de si e sobre isso há quem disser que não. Mas há outra coisa. Em 2007 passei por Salamanca e pensei “fogo, estas gajas são tão fashion” pudera ganham o triplo de nós! A beleza também custa dinheiro! Quem me dera a mim gastar balurdios em maquilhagem e roupa… Nem é só o dinheiro que é preciso. Quando se está num clima como se está em Portugal como é que se espera ver gajas ai a irradiar beleza estonteante. Para não falar que os portugueses são estúpidos e parvos e só pensam em desgraças, mas isto é outro assunto.

Em relação agora à lata, à tomada de iniciativa ou até mesmo à desinibição. Epa as hungaras (e moças dos arredores= têm falta de homem, para não dizer que os homens delas não são propriamente bonitos. Por isso as raparigas comem tudo o que se mexe incluindo elas próprias :p Não sei se sabem mas como na China e na India há imensos homens, a taxa de homossexualidade aumentou (será que eles assumiram? contaram-me isto hj segundo uma sexologa…) e o msm acontece com elas :p Ok estou na brincadeira. Vamos voltar atrás no tempo e lembrar de como a sociedade antiga latina era tão conservadora e que valorizava os valores familiares (valorizava os valores tão giro)… Lembram-se? Esses valores ainda predominam. Por exemplo não se ouve um gajo dizer que as espanholas ou as italianas são todas abertas (peço desculpa pelo trocadilho… mi não querer ferir susceptibilidades) mas sim que as hungaras, polacas, checas, finlandesas, russas, ect o são. Porquê? Porque não são latinas! As latinas foram criadas numa redoma onde da cozinham saltavam pra cama e onde a palavra do homem é que era incontestada. Agora isto ligada às caracteristicas dos portugueses tipicos (de estupidos e parvos, pessimistas e etc) lixou tudo. Né? Isto não é disparate nenhum, basta pensar un petit peu!

Falando em exemplos. Por exemplo, os bikinis wicked weasel que são super hiper micros. Eu não era capaz de usar. Confesso. As knickers sim mas os bikinis não. Acho que me iria sentir meia envergonhada. Mas adoro-os e acho-os super giros. Para não falar na dolorosa depilação que seria necessário fazer ( eu cá curto andar com a pentilheira de fora e ao vento, depois gosto de fazer rolinhos com os dedos e encaracolar… poupem-me) :p Talvez um dia… E agora dizem vocês ” Ah tás a ver?!” Ah tás a ver? Eu tou a ver muito bem. No site wicked weasel existe uma competição de bikinis onde já apareceram umas portuguesas com bikinis. E quando fui a foruns portugueses que falavam sobre o site a única coisa que os gajos sabiam dizer era que elas (as portuguesas) pareciam umas anormais e gordas quando uma delas até era bem jeitosa. Nem elogiaram o facto daquelas raparigas estarem a ousar e a combater todos aqueles complexos que vocês tantam teimam em nos atirar à cara! E agora com isto irritei-me e só não compro um bikini porque é demasiado caro pro meu bolso!!!!

Ainda não acabei! Lol! Provavelmente ninguém está a ler isto mas ao menos desabafo. A mulher portuguesa pode ainda ser muito complexada e ter muitas raizes cristãs e seja lá o que for na cabeça… Mas a verdade é que está cada vez mais bonita e cada vez mais ousada e por isso aborrece-me esses comentários. É que basta uma tuga ser selectiva que é logo o descalabro. Eu gosto de ter o poder de selecionar as presas, de escolher quem me toca e quem não me toca e se quero isto ou aquilo… Sexo para as portuguesas é taboo? Sim para muitas, mas para muitas também não é! Parem de generalizar e se querem dar uma foda basta ir a um bar que há muita gaja “aberta” para vocês!

Em relação aos homens portugueses. De beleza não são nada de especial. Enganem-se se se acham todos lindos bons porque isso não é bem assim. A raça latina é jeitosa mas a portuguesa tem umas misturas meio estranhas. Se me perguntarem quem são os melhores eu diria que são os italianos ou os australianos (com aquele ar de malandrecos hihi). Os portugueses também têm uma caracteristica irritante que é o excesso de machismo. Depois há aquela desculpa do “Ah é no gozo” mas no fundo no fundo iamos todas ou prá cama ou prá cozinha né? Felizmente já estão mais calmos. Uma outra coisa é o complexo com a beleza. Beleza não é o termo certo mas, como machos latinos, os tugas têm aversão a cremes para a cara ou para o corpo porque é muito “gay” e todos os metrosexuais são muito “gays”… É ou não é? Tendência que muda? Sim mas lentamente. Por isso meus fofos, vocês não são mais que nós :p

Uma outra coisa que acho que não é tipica portuguesa mas que tem bastante peso. É assim, vocês portugueses (homens) não têem nada que nos exigir em relação à beleza. Como aqueles comentários sobre as portuguesas do WW já vi muitos onde a sua barriga é demasiado grande para usar aquilo, ou que não tem mamas suficientes! Se for assim muitos de vocês não têm corpinho pra andar com calçoezinhos nas praias nem na rua tamanha é a pança que camufla qualquer piloca de 15 cm!!!! Tenham tento na cabeça porque se essas barrigudas lhes abrissem as pernas era já a correr né? Sejam mais exigentes com vocês do que connosco e depois logo se vê! Ah e já fui melhor engatada por homens de etnias africanas e ucranianas do que por tugas por isso aprendam com eles! Atenção isto nem é vingança por dizerem mal de nós, é mesmo a realidade das coisas. Aposto que gozam com o Zeze Camarinha mas eles é que a sabe toda!

Acho que já disse tudo e só vos peço para abrirem os olhos para aquilo que têm há frente das trombas, que não é tão mau assim… Peço desculpa pelas ordinarisses, e pelos erros de escrita!

Minha opinião sobre as mulheres já escrevi lá no blog da Daniela, que infelizmente, deve ter desistido de colaborar aqui, mas me faria muito gosto se o fizesse.

Minha opinião,no geral.Há uma ferida entre os dois povos que se alimenta ainda mais de preconceitos, idiotamente. Por que? Porque não conseguimos ainda encarar a nós mesmos, nossa mediocridade. Quando digo nós, estou falando de nós, portugueses e brasileiros. Temos, no fundo um mesmo mal. Que é esse enorme complexo de inferioridade, que às vezes se mostra numa outra face, uma presunção de superioridade. Enquanto nós acharmos muito mais do que nós realmente somos, fica difícil. A gente só consegue uma auto-estima madura quando conseguimos encarar as próprias fraquezas, incoerencias, idiossincrasia. Os brasileiros são mal formados,sim, na escola, com muito jogo de cintura, mas com muita ignorância em relação a muita coisa.

Os portugueses são melhor formados sim, mas com menos jogo de cintura e também muita ignorancia em relação a muita coisa.
O que nos faz menos ignorantes? A humildade de tentar pensar outros pontos de vista, olhar pro mundo de forma mais ampla. Ir ao dicionário, ao google, pelo menos, para tentar saber de algo. Saber dizer, “Você sabe que eu não tinha visto por esse ângulo?” E ao mesmo tempo não ser hipócrita, dizer o que pensa,não esconder para si.
Então muito dos estereótipos se fortalecem entre pessoas menos esclarecidas, elas mesmas, na maioria das vezes, fazendo valer os estereótipos tanto de um lado como de outro. E vou dizer, há aquele que não teve mesmo oportunidade de aprender, mas muitos, muitos, arrotam “verdades” por aí como se soubessem de tudo.
Quando nos fechamos numa visão pequenininha, fica difícil. Os brasileiros escrevem mal? Portugueses também. Brasileiros gostam de sexo? Portugueses também, e como. E entre si mesmos, não tendo nada a ver com brasileiras. Só que uns aprenderam a civilidade, que significa mais ou menos assim: tenho personagens diferentes que se ajustam à cada ocasião. A civilidade não é um mal em si, na minha opinião é muito mais bem que mal, na maioria dos casos.
Muitos brasileiros, por formação, não conseguiram ainda essas várias possibilidades de personagens, e pior ainda, vestem os estereótipos que se espera deles, também arrotando por aí, que é brasileiro e muita coisa.
Mas o que me irrita mesmo, em brasileiros e portugueses, é quererem ser mais do que são, não terem o menor senso crítico. Outro dia vi num blog sobre dúvidas de portugueses e portuguesas sobre sexo. Vou te dizer, tinha ali uma imaginação de outro mundo. Portugueses são muito sexuais, podem ser até reprimidos, não sei, mas que são, são.Então por que essa hipocrisia?
Tudo bem que tem algo de “objeto” na sexualidade da brasileira que também não me agrada.
E a nossa mania de grandeza?

Uma vez vi na RTP uma cobertura sobre a festa de passagem de ano no Rio, a repórter dizendo que era o “maior Reveillon do mundo”. Nós brasileiros não percebemos como as vezes exageramos em coisas assim. Acho até engraçada essa propaganda que está no ar agora, de brasileiros falando mal do país, e quando chega um estrangeiro falando também, eles mudam imediatamente ficando contra o estrangeiro. Acho engraçada, vale, mas pra mim que tenho olho pro mundo com a curiosidade de conversar com outras culturas, de ampliar horizontes, você não conseguir conversar com alguém de fora sobre o próprio país, ouvir críticas interessantes sem se rebaixar demais ou se enaltecer demais, numa medida justa, é ser obtuso e perder de aproveitar um mundo tão interconectado. Eu acho que o ponto de partida para se crescer em qualquer nível, pessoal ou até de um povo, é uma justa idéia de onde você está e de quem você e de suas qualidades e seus defeitos. Com menos frases feitas, feridas cretinas, e idéias pequenininhas, por favor, dos dois lados.

Obs:Eu sou brasileira, brasileiríssima, não poderia existir como sou se não fosse brasileira, pela minha origem, parte indígena. Por isso mesmo, me sinto no direito de dizer o que quiser sobre meu país, e ponto final.

About these ads
Explore posts in the same categories: brasil portugal, críticas, ideologias, imigração, relações humanas

Tags: , , , , , , ,

You can comment below, or link to this permanent URL from your own site.

59 Comentários em “Brasileiros e Portugueses, colocando o dedo na ferida,a discussão na mesa:”

  1. República dos Bananas Diz:

    Oh pá….vênus aqu@ario porque havias de te meter numa destas? E porque me queres meter nesta????
    Boooooooooooooooooooooommmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmm….
    Muito pessoalmente, penso que o Brasil e a maior parte dos Brasileiros têm uma má resolvida questão de identidade em relação a Portugal e esquecem-se que são independentes há cerca de 200 anos…essa história do médico que era roubado no carvão e no troco, é do mais ridículo que já li; não, não é porque o português que vendia o carvão não fosse capaz de roubar, mas sim porque o português que roubava, era um emigrante num outro país, assim isso era um caso de polícia e não um caso de português versus brasileiro, nem sequer um caso de português igual a ladrão, porque muito possivelmente também haverá portugueses que contribuiram para o progresso do Brasil e sem roubar.
    A opinião dos portugueses….a opinião dos portugueses não a sei, mas sei a minha: há de facto muita brasileira ligada à prostituição, mas falar em “garota de programa” é falar errado, quer dizer, não digo que não as haja, mas a grande maioria das ditas prostitutas veio à procura de um trabalho e de uma vida decente e sendo ilegais, são apanhadas nas malhas da prostituição; a mesma coisa para o brasileiro que trabalha quase 20 horas nas obras e que mesmo assim é mais bem tratado que os africanos…aqui ninguém trabalha 20 horas, só estando ilegal e sendo forçado pelo patrão a trabalhar mais horas. Por isso, a defesa que fiz num outro comentário sobre o controlo dos emigrantes ilegais na Europa.
    Aqui no meu sítio conheço várias brasileiras e alguns (poucos brasileiros), as brasileiras uma é minha destista (legalizada), outra é a minha médica de família (legalizada), outra vende-me pão e outra atende-me num supermercado; todas elas são extremamente educadas, pela rua vou ouvindo outros brasileiros e brasileiras, não dou conta que não estejam integrados na sociedade, nem que se dediquem a actividades ilicitas.
    Agora, por vezes há problemas….estou a lembrar-me neste momento numa situação que ocorreu na Costa da Caparica, perto de Lisboa quando foi o último campeonato do mundo de futebol ganho pelo Brasil; no final de um qualquer jogo, uma grande quantidade de brasileiros, virou carros, insultou pessoas, partiram vidros e chegaram a “cagar” na bandeira Portuguesa. Com a chegada da Polícia as coisas quase que se complicaram e teria havido pancadaria e prisões a sério se não estivessem presentes as televisões. Isto que acabei de contar, é verdade e se eu fosse o comandante da polícia não teria parado por causa da presença das televisões, mas também não vou dizer que isso é o comportamento geral dos brasileiros em Portugal…isso foi apenas um episódio. Muito mais recentemente, um brasileiro esteve envolvido na morte de um empresário português, a mando da mulher do empresário…mas também participou um português; os dois assassinaram o pobre homem e a mulher dele cumpre agora pena de prisão. Isto quer dizer alguma coisa??? penso que não. Esqueçamos sim os estereótipos porque nem todos os brasileiros são assim, nem todos os portugueses são assado.
    Mas se eu digo que muitos brasileiros têm uma má resolvida questão de herança cultural e se esquecem que são independentes há 200 anos, muitos portugueses também, ainda sonham com o passado colonial e sem se aperceberem defendem um neo-colonialismo despropositado.
    O Império foi desfeito, cada qual seguiu o seu caminho e olhar o outro com superioridade, só demonstra a inferioridade que cada um tem.

    • Anônimo Diz:

      Concordo plenamente com o que você escreveu.Tambem conheço aqui no Brasil muitos portugueses bons e honestos, pois não poderemos generalizar, inclusivel dentro de um país há essas indieferenças idiotas.Minha esposa é descendente de portugueses e eu próprio devo ter também.Devemos é sim humanizar mais este mundo.Paz Profunda!

  2. ¬vênu§ aqu@ri`º´ Diz:

    em relação ao que disse…fica aí muito bem dito…só quero deixar claro, pq acabei por não deixar…no post, que nem quis discutir a imigração…Mas essa rusga que existe mesmo de brasileiros no Brasil contra portugueses em Portugal e vice -versa.

  3. Eliane Diz:

    Ahhhh!!! Infelizmente, o preconceito existe aqui, lá e acolá!!! Ninguém está livre dele. Li textos cheios de observações preconceituosas e julgadoras… Sou mulher, brasileira, pobre, estudante, branca, alta etc, etc, etc… Estão aí motivos pelos quais eu já sofri preconceito, entre tantos outros. Mas eu sempre me pergunto, quantas vezes eu também não tive uma atitude pré julgadora? Somos vítimas e ao mesmo tempo vilões dessa história. Ninguém está a salvo… Entre portugueses e brasileiros, todos tiram suas lascas e sobrevivem assim. Impedir que hajam as piadas? Impossível! Então, o melhor é rir delas. (E que fique cada um com seus problemas, pois não são poucos, e na minha opinião, estamos todos no mesmo barco!).

  4. EDVALDO TAVARES Diz:

    EXPRESSO A MINHA ADMIRAÇÃO PELO BRAVO POVO PORTUGUÊS. Esta é a hora de desfazer um mal-entendido. Quando escrevi o texto “Lembranças da Infância no Rio de Janeiro”, em outro informmativo, não sabia que a minha opinião ia ter esta dimensão e expressei a visão que tive sobre os portugueses desonestos quando era garoto. Hoje, o meu ponto de vista sobre a população portuguesa é de respeito e admiração. Aproveito a oportunidade, ao tomar conhecimento deste veículo de comunicação que integra duas nações coirmãs, para expressar a minha simpatia por Potugal e o seu admirável povo. Além dos fatos históricos que registraram feitos dos intépridos navegantes portugueses que podem ser comprovados nos Mapa-Múndi – as descobertas e locais colonizados pelo povo português, em quase todo o mundo, têm nome de santos e de datas – causa-me perplexidade que um país europeu de pequenas dimensões tenha mantido a dimensão territorial do Brasil (quarto gigante do mundo em continuidade territorial). França, Inglaterra, Espanha e Holanda tentaram tomar parte do território brasileiros, mas o valoroso povo português não permitiu e, diferentemente da Espanha, o manteve inteiro. Peço desculpa pela minha opinião que não se referia a esse maravilhoso povo que eu amo e, brevemente irei a Portugal para de perto conhecer a sua história e ficar sabendo mais sobre o Brasil. BRASIL ACIMA DE TUDO. SELVA! EDVALDOTAVARES. MÉDICO. BRASÍLIA-DF.

  5. Claudia Diz:

    Conhecendo de perto as Potuguesas, consigo ver uma enorme dispeito, ou seja, não aceitam que nós tambem temos valores!!!!A qustão de ser puta é muito relativa, conheci varias portuguesas que tem postura que na minha terra também é vista como erradas, safadas, enfim….mais qdo as mesmas posturas são de uma brasileira é logo puta kkkk
    Sinto pena das mulheres portuguesas cada vez mais solteiras, divorciadas e sozinhas e tudo isso pq não percebem q o proprio homen de seua terra ja não conseguem suporta-las então casam-se logo com uma brasileira linda, gostosa e o melhor: sabem amar sem limites!!!!!!
    Por isso nós brasileiros somos mais felizes, pq sabemos a formula certa de mar!!!!

    • Lucineide Diz:

      As brasileiras são put** mesmo. As portuguesas também são safadas mas com seus maridos, namorados… não com qualquer um nem a troco de dinheiro como as brasileiras.

  6. Carmen Diz:

    O que realmente falta é Deus no coração dessas pessoas cheias de preconceitos, que perdem o seu tempo em criticar a maneira de viver das brasileiras!!!! Aqui em Portugal senti um enorme preconceito, mais qdo comecei a me relacionar mais e ver que as portuguesas fazem coisas iguais ou piores q as brasileiras, sinto somente pena dessa maneira estupida de pensar!!!! São ideias formadas, e as pessoas apensa decoram e não procuram se informar da realidade!!!! Me sinto limpa e pura em relação a tudo que dizem, pois amo um português e tenho orgulho disso, ser feliz realmente causa muita inveja !!!!!
    Sou feliz!!!!
    Muito Feliz!!!
    Sou brasileira com muito orulho
    Commuito amor!!!!

  7. Nuno Diz:

    Adorei ler os textos, até ver a resposta da Claudia, a tristeza e ignorancia em pessoa, ainda bem que não podemos generalizar a opinião, se é que podemos chamar isso de opinião. mas tirando esta ressalva, gostaria de dizer o seguinte, cada vez mais existem diferenças entre Portugueses e Brasileiros, para mim muito natural que assim seja, mas uma coisa é certa, não se pode esquecer o passado e muito menos ignorar de onde viemos porque so assim sabemos dar valor ao que somos. Existe uma raiva colonialista, e penso eu, culpa da desinformação. Tenho Portugal e o Brasil no coração, tenho esposa Brasileira e um filho Luso-Brasileiro, e mais 3 filhos Portugueses e sinto orgulho em todos eles porque mais do que Portugueses ou Brasileiros, são a minha querida familia.

  8. Nem sempre a brincar Diz:

    As diferenças entre os dois países são muito grande, isto explica-se a luz da sua dimensão, localização e influência geopolítica e claro, cultural. Acho que, não se pode criar um estereótipo a cerca do que seja, sem primeiro recolher dados, sobre um o que queremos estudar, e só depois de os tratar é que se pode opinar com uma certa incerteza a mistura.
    Mas continuando, os afastamentos destes dois países deveu-se, essencialmente por causa, das maus políticas.
    Nos tempos atuais, os dois países enfrentam condições muito favoráveis…
    Como sou português vou esclarecer o seguinte: as dificuldades que estamos enfrentando deve-se essencialmente a deslocalização de algumas empresas para destinos “países” onde os mercados são mais favoráveis; por outro lado, muitas empresas falirem devido a falta de “VISÃO” e planeamento, não estavam preparadas para enfrentarem a concorrência externa e as exigências específicas.
    Por outro lado a globalização fez moça em todos os países Europeus. Deste modo, quem beneficiou com estas mudanças, foi as economias ou países emergentes (china, Índia, Brasil e Rússia). É possível que a UE, em curto prazo venha a tomar medidas de contenção e precaução…isto é fechando-se ao exterior…dificultando a entrada de bens, pessoas e outras coisas…
    Com estas mudanças, deixou muita gente desprevenida…


  9. Nunca pensei ser possível tanta ordinarice nestas
    páginas da Visão.A brasileira que escreveu êste texto
    embora com muitas falhas na redacção,é uma mulher com
    experiência (penso eu)no mundo da prostituição,e como
    tal conhece quão grande é a velhacaria,a pulhice humana,a corrupção moral no Brasil e em Portugal.
    Ao fim e ao cabo,como se costuma dizer,a corrupção,a
    velhacaria,a pulhice humana está espalhada por todo o
    Mundo,assim como a miséria material e moral.

    • Indignada Diz:

      Sr. Cravinho,

      como assim??? Será que eu li isso, mesmo?!

      Em que o senhor se baseou, para dizer que a autora, provavelmente, tenha experiência na área da prostituição?
      Será que foi porque, a mesma, falou sobre sexualidade de portugueses?
      Isso é muito pouco, nada, para se chegar a essa conclusão.

      Qualquer mulher que tenha namorado com portugueses, poderia opinar da mesma forma.
      Aliás, bastaria observar o comportamento de algumas pessoas da sociedade.

      Por colocações como essa que o senhor fez, é que sou obrigada a concordar com a autora, quando fala sobre pessoas que preferem ficar fechadas no próprio mundo, do que tentar alargar o horizonte de conhecimento.
      Ora…

  10. antonio almeida Diz:

    Estou espantado.Não imaginava as alfinetadas entre Portugueses a Brasileiros.Os Brasileiros queixam-se do povo colonizador que ate já li de invasor…Os Portugueses queixam-se da malandragem e não so ,dos Brasileiros…
    Em Portugal e no Brasil não viverão dois povos cujas origens são as mesmas?O povo Portugues é formado por pessoas com origens Africanas,Muçulmanas,Nordicas,etc.etc.Eu proprio descendo de Espanhois.Os Brasileiros ao contarem anedotas dos portugueses estão a rir-se na maior parte dos casos dos Avós…e muitas vezes dos Pais.Acho salutar.Quer se queira quer não somos povos irmãos.A Grande maioria dos malvados que “INVADIRAM” as terras de Santa Cruz eram os nossos antepassados comuns.Há que pedir desculpa aos verdadeiros originarios daquelas terras que se vieram a chamar de Brasil e aos povos Africanos que foram retirados das suas terras e escravizados.Coisas daqueles tempos que eram a norma.
    O Brasil é o maior exemplo de integração de povos.Uma grande lição ao Mundo.Estou em crer que Portugal,Brasil,Angola,Moçambique,Cabo Verde,Guiné,Timor,São Tomé,etc,etc, vão cada vez mais caminhar juntos.Veja-se as economias.Portugal está a investir fortemente no Brasil.O Brasil está a Fazer o mesmo em Portugal(Embraier,Galp etc.)Angola e Portugal é o mesmo.Com cabo Verde…
    Há muitos Genes para não dizer o velho chavão da cultura comum que alias é um facto.
    Já agora não sei o que se anda a fazer na descoberta do espaço.Não será do meu tempo,mas podemos TODOS amanhã ser chamados por alguém de invasores.
    Um abraço para todos

    • Andréia Diz:

      Tu estás tão certo!

      Acredito, também, numa possível convivência mais próxima entre nossos países, nos próximos novos tempos, que aliás, já chegaram.

      Acho que devemos nos esforçar em abolir sentimentos de superioridade recíprocos inúteis que, além de tanto ridículos, na verdade, só trazem desgastes e mal estar.

      Nós, do Brasil, Portugal, Angola, etc, temos o que mais próximo possa ser de um parentesco, portanto, proponho união, para tornar viável um presente e futuro prósperos e felizes.

  11. antonio almeida Diz:

    Só mais uma achega.Os ditos colonizadores não eram filhos unicos..

  12. ñ interressa Diz:

    Eu acho as portuguesas mto invejosas, ridiculas e preconceituosas, nem toda brasileira é prostituta, nem toda portuguesa é santinha..então penso eu q devem olhar um pouco mas pra vcs ao inves de falar mal das brasileiras, a mulher brasileira é linda,inteligente, e graciosa, é oq matam vcs de inveja.
    e pô, q discusãozinha besta essa!!!
    vão cuidar das vidas de vs a inves de ficar falando quem é mais bonita, pq entre portugal e brasil..
    dá brasilllll!!!!!!!!!!
    nas mulheres na cultura, nos homens em tudo!!!
    do msmo jeito q tem gente ruim no brasil tem em portugal também seus merdas.

  13. ñ interressa Diz:

    fodam-se todos

  14. opilinha Diz:

    Portugueses e brasileiros já discutem o sexo dos anjos à tanto tempo, e afinal o problema é só um choque de culturas, uma fechada demais e outra aberta em demasia e a estragar ainda mais é um ter sido colonizador de outro, mesmo tendo sido à séculos

  15. opilinha Diz:

    Mas uma coisa é verdade as mulheres brasileiras tem aquele gostinho especial

  16. portugal brasil Diz:

    um recado aos portugueses o brasil nao precisa de portugueses para se tornar uma das maiores potençia mundial mais e grasas aos brasileiros e outros imigrantes que este pais ainda continua porque para o governo dar o sustento a eses que nao querem nada a nao ser somente dar a desculpa de que nao a trabalho ainda bem que do brasil vem trabalhadores para toda a obra como bons dentistas medicos secretarios gerentes bancarios directores de enp, de aviaçao medicos escritores educadiçimos artistas plastico aliais de todas as profiçoes e tanbem cosinheiros .agora para terminar portugal menos da metade colobora para que este pais suba o resto fica por conta dos estrangeiros que mesmo nao suportando viver aqui infelismente aida continua nao que o povo meresa mais e o mesmo que acontese com os portugueses em fança sei que se eu pudese jamais estaria aqui porque cançei de ver esta gente tratar os brasileiros como animais e nao conseguem destinguir o bom do mal para eles e tudo que nao presta e brasileiros

  17. portugal brasil Diz:

    e com muita tristesa que falo a todos os portugueses que apartir de agora nao devera preoculpar se com os brasileiros mai antes sim com os chineses …..

  18. Orlando Augusto Stock Diz:

    Esta guerra entre portugueses e brasileiros é absurda,para não dizer estúpida.Cada povo tem seus defeitos e virtudes.Sou portugues,mas considero que Os portugueses passam a vida a reclamar,são carrancudos quando a vida corre mal para eles,enquanto que os brasileiros mesmo tendo pouco dinheiro ,têm uma força e alegria interior muito contagiante.Sou um portugues que tendo pouco dinheiro não sou um triste,não reclamo,eu vou á luta,tenho uma mentalidade optimista.Gosto de cultura,vou ao teatro, leio,trabalho e estudo para ter uma vida mais organizada.Gostaria que os portugueses e também os brasileiros também seguissem o exemplo em desenvolverem o gosto pela cultura.

  19. Brasitano = Brasil Lusitano Diz:

    Meu Deus que coisa mais estupida e infantil essas briguinhas entre portugas e brasucas, sao pais e filhos, quando sera que muitos de nos brasileiros irao entender que os portugueses sao os nossos ancestrais e que de passagem digamos e aceitemos eram e sao VALENTES, GUERREIROS, TRABALHADORES, e se tem algo que herdamos do povo portugues foi a garra para o trabalho, tanto que estamos a todo vapor mostrando isso ao mundo e em pouco tempo seremos a quinta economia mundial, tenhamos orgulho um do outro, povos irmaos…ja e chegada a hora de pararmos com essas ofensas inuteis…Povo portugues orgulhem-se da Terra de Santa, olhe para nos vejam o que voces plantaram, o quarto maior pais mundo em extensao territorial e fala apenas um idioma PORTUGUES, voces fizeram um bom trabalho…Povo brasileiro somos descendentes de um povo guerreiro que na epoca das grandes navegacoes desbravou esses mares e passou por todos os cantos deste planeta…NOS ORGULHEMOS DO QUE SOMOS!!! Um grande abraco a todos.

  20. Edexote Diz:

    Considero o povo brasileiro um povo irmão, da mesma forma que acho o povo angola, moçambicano, etc. Tenho um primo casado com uma brasileira e é uma jóia de rapariga!

    • Ritinha Diz:

      Bom de tudo hà um pouquinho de verdade!! mais o que não consigo intender è esta rincha merda , en Br&Pt, eu amo Portugal como amo o Brasil, eu sei dos defeitos dos 2 povos, mais respeito-os, ganho amor das duas partes, adoro ouvir português arcaìco tenho doces lembranças da minha amada avò Maria e amo minha fala carioca! a cultura, a leitura, a culinària , os custumes em geral me fascinam dos dois paìses!! somos irmãos somos amigos!! e è assim que vejo!! Ritinha

    • Casamenteira Diz:

      Olá,

      acaso não terías aí, mais alguns primnhos?
      É que conheço várias joias aqui no Brasil que adoram portugueses e desejam conhecer alguns deles…

  21. rita Diz:

    JORNAL DA HISTÓRIA
    Canal Kids

    Quando o Brasil foi descoberto, no dia 22 de abril de 1500, ainda não existia jornal impresso e publicado diariamente. Mas… e se já existisse, do jeitinho que a gente conhece hoje? Já pensou como seriam as reportagens sobre o descobrimento do Brasil? No dia em que Cabral desembarcou em Lisboa, em 21 de julho de 1501, seria assim…

    NAVEGADOR PORTUGUÊS DESCOBRE NOVAS TERRAS NA AMÉRICA

    Jornal da História: Como o senhor chegou às terras brasileiras?

    Cabral: Parti de Portugal comandando uma frota de 13 embarcações no dia 8 de março, com 1.500 homens e 8 padres. A maior frota portuguesa até então! Chegaram a terra firme 12 naus, mas infelizmente apenas 6 retornaram a Portugal. Nosso objetivo era alcançar as Índias, para comercializar mercadorias e levar a religião católica para outros povos. Nosso rei, Dom Manuel, queria impressionar o samorim, o rei de Calicute, na Índia, com uma frota rica e poderosa, para melhor fazer negócios. O samorim havia esnobado Vasco da Gama, que desembarcara em Calicute com navios pequenos e sem riquezas.

    Jornal da História: É verdade que Portugal já tinha conhecimento da existência dessas novas terras?

    Cabral: Isso eu não posso dizer.

    Jornal da História: O que o senhor tem a dizer sobre os boatos de que o senhor não seria o primeiro a descobrir as novas terras?

    Cabral: Que boatos? Isso é intriga da oposição! Que tipo de jornal é esse que dá ouvidos a boatos?

    Jornal da História: Temos nossas fontes. Em 26 de janeiro do ano
    de 1500, ou seja, no ano passado, o capitão espanhol Vicente Yáñez Pinzón teria desembarcado em um local que chamou de Santa Maria de La Consolación (Hoje, Ponta do Mucuripe, cerca de 10 quilômetros ao sul da atual Fortaleza, capital do Ceará). Os marujos teriam gravado a data, seus nomes e os de seus navios em árvores e rochas. Outro navegador espanhol, parente de Pinzón, Diego de Lepe, teria chegado ao Brasil no início de fevereiro (Hoje, os historiadores têm opiniões diferentes de onde seria o local Cabo de Santo Agostinho, em Pernambuco, ou Cabo de São Roque, a 100 km de Natal, capital do Rio Grande no Norte)

    Cabral: Se vocês insistirem nessa história, mando processar o jornal por traição à Coroa de Portugal!

    Jornal da História: Bem, essa é uma dúvida que vai intrigar os futuros historiadores… Mas voltando à viagem, como foi a chegada?

    Cabral: No dia 22 de abril de 1500, avistamos uma elevação que chamei de Monte Pascoal, porque era época da Páscoa. A presença de aves marinhas e de grandes algas flutuando no mar já indicava a proximidade de terra firme. No dia seguinte, enfrentando as ondas causadas por uma terrível tempestade, conseguimos encontrar uma baía para ancorar, por isso chamei o lugar de Porto Seguro, um lugar muito bonito.

    Jornal da História: E o contato com os índios?

    Cabral: Havia cerca de 20 nativos na praia, completamente nus, portando arco e flecha. Mas eram bastante amistosos. De início, trocamos algumas roupas e nossas boinas vermelhas por colares de contas. Francamente, fiquei surpreso com o comportamento dos nativos. Um dia, capturamos dois jovens índios e os levamos a bordo. Nós conversamos por gestos e em nenhum momento eles demonstraram medo por estar entre desconhecidos. A tripulação ficou agitada quando os índios apontaram para meu colar de ouro e depois para a terra, como se estivessem querendo dizer que lá também havia ouro. Ficaram deslumbrados com as galinhas que levamos, veja você! Os índios estavam tão à vontade que até dormiram no barco, em pleno convés.

    Jornal da História: Depois você seguiu viagem em direção às Índias, onde entrou em conflito e acabou bombardeando Calicute por 15 dias. Como foi o ataque?

    Cabral: Essa é uma longa história, que vocês podem deixar para a próxima edição, ora pois…

    EXTRA! PORTUGUESES SÃO ABANDONADOS EM TERRA ESTRANHA

    Tem gente que gosta mesmo de aventura… Não é que alguns marinheiros portugueses ficaram no Brasil, enquanto o resto da tripulação seguia viagem? Dois deles foram deixados de propósito para servir como informantes do rei. Eram dois degredados, condenados por crimes em Portugal, que abriram o maior berreiro quando foram deixados na praia.

    Choraram tanto que até os nativos ficaram comovidos e caíram no choro também. Vinte meses depois, foram resgatados pela expedição de reconhecimento comandada por Américo Vespúcio. Os relatos de um dos chorões, Afonso Ribeiro, foram muito importantes para Portugal. Os outros marinheiros que haviam ficado simplesmente desertaram, cansados da vida sofrida a bordo. Em uma terra tão bonita, com fartura de comida e de índias sem roupa, escapuliram do navio rapidinho e nunca mais foram vistos.

    Ninguém nunca soube o que aconteceu com os marujos fujões. Será que conseguiram viver entre os índios? Ou será que serviram de jantar para os índios canibais (aqueles que comem carne humana)?

    TERRA DOS PAPAGAIOS

    Uma outra curiosidade sobre os primeiros dias da descoberta foi o nome dado ao Brasil. Cabral batizou as novas terras com o nome de Ilha de Vera Cruz (ou da cruz verdadeira, devido à grande cruz fincada no dia da segunda missa).

    Mas os marinheiros não estavam nem aí com o nome oficial.Eles inventaram outro nome. Sabe qual? “Terra dos papagaios”. Araras e papagaios multicores enfeitavam a paisagem, e durante mais de três anos, ninguém chamava o Brasil pelo nome dado por Cabral. Os portugueses trocaram quinquilharias e suas toucas vermelhas de marujos por essas aves maravilhosas, que viajaram até Portugal e deslumbraram seus compatriotas d’além mar.

    Depois, o Brasil passou a ser chamado de Terra de Santa Cruz, por ordem do rei Dom Manuel. Poucos anos depois, o país seria conhecido como Brasil, devido à grande quantidade de pau-brasil, uma árvore de tronco avermelhado usada para tingir tecidos, muito apreciada na Europa.

    Devido à paisagem paradisíaca, o nome do Brasil também pode ter derivado de uma ilha lendária na mitologia celta, a ilha Brazil. Era um lugar mágico perto da Irlanda, que fascinou muitos navegadores e chegou a aparecer em alguns mapas da época.

    COMENTÁRIO POLÍTICO: O DESCOBRIMENTO FOI POR ACASO?

    Dizem que Cabral descobriu o Brasil por acaso. Será? Tudo indica que os portugueses sabiam da existência dessas terras. Outros navegadores teriam passado bem perto daqui, como o português Duarte Pacheco, em 1498.

    A própria viagem de Cristóvão Colombo, que descobriu a América em 1492, sugeria a existência das novas terras ao sul da República Dominicana. Seis anos antes da viagem de Cabral, Portugal e Espanha assinaram o Tratado de Tordesilhas. Nesse documento, os dois países rivais na expansão marítima chegaram a um acordo.

    Traçaram uma linha imaginária que passava a 370 léguas a oeste das ilhas de Cabo Verde, colônia portuguesa próxima ao continente africano. O mundo ficou dividido em dois: as terras descobertas do lado esquerdo (oeste) dessa linha ficariam com a Espanha; as do lado direito (leste) ficariam com Portugal.

    Ora, grande parte do Brasil ficava exatamente do lado português. Ao menos, a parte que mais interessava aos espertos e bem-informados portugueses: seu extenso litoral, rota fundamental para cruzar o Cabo da Boa Esperança e chegar às Índias. Portanto, faz sentido pensar que Cabral tinha uma missão secreta: encontrar as novas terras, garantindo o domínio de Portugal sobre elas.

    (Quinhentos anos depois do fechamento desta edição, a polêmica e o mistério continuam. Nenhum dos documentos originais da viagem do descobrimento, como a carta de Pero Vaz de Caminha, deixou indicações definitivas sobre a verdadeira intenção de Cabral)

    CULINÁRIA

    Segundo os relatos, o encontro inicial entre os índios e os viajantes portugueses aconteceu de maneira pacífica. Só não houve acordo quanto à comida. Os dois índios que subiram a bordo de uma das caravelas experimentaram as comidas e bebidas oferecidas: pão, peixe cozido, bolo, mel, figos secos e vinho.

    Não gostaram de nada. Cuspiam fora tudo que colocavam na boca. Não era para menos! Eles não estavam acostumados a nada daquilo.
    A alimentação básica dos índios vinha das plantações de milho, inhame, feijão, abóbora e mandioca, além das frutas nativas, como o abacaxi. Até a água oferecida pelos “anfitriões” portugueses não se comparava àquela que os índios bebiam: tinha ficado armazenada em tonéis durante mais de 40 dias e não era nada fresca…

    Imaginem se os índios tivessem provado da ração servida nas naus cabralinas! Sairiam correndo! A base da dieta a bordo era um biscoito duro e salgado, bolorento e fedorento, além de carne salgada, cebola, vinagre e azeite. Essa dieta muito pobre em vitaminas, causava uma doença terrível nos marujos, chamada escorbuto. Provocada pela carência de vitamina C, o escorbuto fez muitas vítimas fatais durante as viagens marítimas. Para alívio dos navegantes, no século 18 o capitão inglês James Cook descobriu que o consumo de limões e laranjas, ricos em vitamina C, combatia a doença.

    COLUNA SOCIAL

    No dia 26 de abril de 1500, domingo de Páscoa, foi realizada a primeira missa em terra firme, na praia. Todos estavam lá: o comandante Pedro Álvares Cabral, a tripulação da frota, os padres que também participaram da viagem.

    O frei Dom Henrique celebrou a missa, acompanhada com grande devoção pelos portugueses. O melhor é que os índios, os verdadeiros donos da casa, também apareceram, curiosos para ver aquele desconhecido e solene ritual. Depois da missa, os nativos começaram a tocar conchas e buzinas, pulando e dançando. Resumindo: o primeiro evento social brasileiro foi um sucesso!

    No dia 1º de maio, foi erguida a primeira cruz e rezada a segunda missa. Carregando os estandartes da Ordem de Cristo, mais de mil homens da esquadra de Cabral seguiram em romaria até o local escolhido para fincar a grande cruz, de cerca de sete metros.

    A cruz foi ali colocada também para assegurar a posse da terra ao rei Dom Manuel, sinalizar uma boa fonte de água e o local onde seriam deixados dois degredados, futuros informantes. Cerca de 80 índios acompanharam a celebração, repetindo os gestos, levantando e se ajoelhando como os portugueses. Um luxo só!

    MODA

    Entre índios e portugueses, quanta diferença no visual! Os portugueses chegaram com suas roupas pesadas, botas de couro e boinas na cabeça. O tipo de roupa perfeito para o clima frio europeu e para as exigências da nobreza, mas nem um pouco adequado ao calor tropical.

    Enquanto isso, os índios nem se preocupavam em vestir alguma coisa. Andavam completamente nus, usando apenas bonitos “acessórios”, como colares e cocares de penas multicoloridas. Para os portugueses, criados numa sociedade bastante diferente, aquilo era totalmente imoral.

    Mas para os índios a nudez era a coisa mais natural do mundo. Esquisitas eram aquelas roupas calorentas que ainda por cima atrapalhavam na hora de correr, caçar, subir em árvores…

    SEÇÃO DE CARTAS

    O Jornal da História obteve, com exclusividade, trechos da carta que Pero Vaz de Caminha enviou ao rei Dom Manuel. A carta chegou por meio de Gaspar de Lemos, que comandava a nau de mantimentos da frota de Cabral, enviada de volta a Portugal para dar notícia do “achamento” do Brasil.

    Contratado para ser o contador da feitoria em Calicute, na Índia, para onde Cabral depois se dirigiu, Caminha também era escritor de talento. Sua carta, tida como a “certidão de nascimento” do Brasil, descreve com brilho e detalhe os primeiros dias dos portugueses na nova terra e seu contato com os índios.

    Pero Vaz faleceu pouco depois, em combate contra os árabes em Calicute. Para homenageá-lo, o Jornal da História pede perdão aos leitores e cede sua Seção de Cartas ao bravo escriba. (Desaparecida durante muitos anos, a carta de Caminha só foi redescoberta e publicada em 1817, pelo historiador português Manuel Aires do Casal)

    24 de abril de 1500, Sexta-feira

    Sobre os índios

    “A feição deles é parda, um tanto avermelhada, com bons rostos e bons narizes, bem-feitos. Andam nus, sem nenhuma cobertura. Não fazem o menor caso de encobrir ou de mostrar suas vergonhas, e nisso têm tanta inocência como em mostrar o rosto. Ambos traziam o lábio de baixo furado e metido nele seus ossos (…) agudos na ponta como furador. (…) Os seus cabelos são lisos. E andavam tosquiados (…) e rapados até por cima das orelhas (…) “

    (Caminha, como os outros, ficou maravilhado com a inocência, ingenuidade e beleza dos índios, que se mostraram bastante dóceis desde o início).

    O contato a bordo

    “Afonso Lopes, nosso piloto, estava em um daqueles navios pequenos. (…) Tomou dois daqueles homens da terra, mancebos e de bons corpos, que estavam em uma espécie de jangada. Já de noite, Afonso Lopes trouxe-os ao Capitão, em cuja nau foram recebidos com muito prazer e festa. (…) Quando eles vieram, o Capitão estava sentado em uma cadeira, bem-vestido, com um colar de ouro muito grande no pescoço, e tendo aos pés um grande tapete como estrado. (…) Um deles, porém, reparou no colar do Capitão e começou a acenar para a terra e depois para o colar, como se nos quisessem dizer que na terra também havia ouro. (…) Nós assim interpretávamos os seus gestos, porque assim o desejávamos (…)”

    (Durante muitos anos, Portugal desprezou o Brasil por considerar que as novas terras não tinham minérios de valor, como ouro, prata e ferro, em seu subsolo, se contentando em pilhar o pau-brasil, madeira valiosa na Europa. Por um bom tempo, o Brasil serviu apenas como rota e porto seguro para as Índias. Hoje sabemos que isso não é verdade, e que o país possui algumas das maiores reservas minerais do mundo!)

    26 de abril de 1500, Domingo

    O palhaço Diogo Dias

    “Do outro lado do rio, andavam muitos deles, dançando e folgando, uns diante dos outros, sem se tomarem pelas mãos. (…) Dirigiu-se, então, para lá, Diogo Dias, homem gracioso e de prazer. Levou consigo um gaiteiro e sua gaita. E meteu-se a dançar com eles, tomando-os pelas mãos; e eles folgavam e riam, e andavam com ele muito bem ao som da gaita. Depois de dançarem, fez-lhes ali, andando no chão, muitas piruetas e salto mortal, de que eles se espantavam e riam muito. Mas como Diogo Dias tocasse neles e os segurasse com essas brincadeiras, logo se tornaram esquivos como animais monteses (…)”

    (Apesar de “mansos”, os índios evitavam o contato físico com os portugueses. Demonstravam dessa forma não serem tão ingênuos, assim como o fato de não deixarem os portugueses dormirem na aldeia.)

    30 de abril de 1500, Quinta-feira

    Gente inocente

    “Parecem-me gente de tal inocência que, se nós os entendêssemos, e eles a nós, seriam logo cristãos, porque parecem não ter nenhuma crença. E portanto, se os degradados que aqui hão de ficar aprenderem bem sua fala e os entenderem, não duvido que eles (…) hão de se tornar cristãos em nossa santa fé. Portanto, Vossa Alteza, que tanto deseja fazer crescer a santa fé católica, deve cuidar da salvação deles . (…) Eles não lavram, nem criam. Nem há aqui boi, vaca, cabra, ovelha, galinha, ou qualquer outro animal que esteja acostumado a conviver com o homem. (…) Nesse dia, enquanto ali andavam, dançaram e bailaram sempre com os nossos, de maneira que são muito mais nossos amigos do que nós seus (…)”

    (Aqui, Caminha se refere à docilidade dos índios, o que poderia facilitar a catequização pelos missionários católicos. É interessante notar a sinceridade do relato neste último trecho, em que Caminha reconhece as “segundas intenções” dos portugueses diante da alegria desinteressada dos índios)

    Uma terra rica

    “Nela, até agora, não pudemos saber que haja ouro, nem prata, nem coisa alguma de metal ou ferro; nem o vimos. Porém a terra em si é de muito bons ares, frios e temperados (…). As águas são muitas, infindas. E em tal maneira é graciosa que, querendo-se aproveitá-la, dar-se-á nela tudo por causa das águas que tem.”

    (Caminha não poderia imaginar o tamanho das riquezas da nova terra descoberta. Imaginem se tivesse visto o rio Amazonas em toda a sua imensidão… ou se soubesse que o Brasil, ainda hoje, possui a maior extensão de terras cultiváveis do mundo!)

    BRASIL 500 ANOS DEPOIS

    Na época do Brasil Colônia, quase todo mundo morava no campo, onde se concentravam as atividades econômicas mais lucrativas, como os engenhos de cana-de-açúcar. As famílias ricas tinham casas na cidade, mas quase só saíam de suas fazendas nas épocas de festas. Enquanto isso, as cidades eram pouco desenvolvidas, com população pequena que sobrevivia do comércio e das atividades administrativas.

    O processo de urbanização e o crescimento das cidades começou a ganhar impulso quando o rei de Portugal, Dom João VI, transferiu a corte portuguesa para o Brasil e se instalou no Rio de Janeiro em 1808, fugindo do conquistador Napoleão Bonaparte.

    Imagine o que deve ter sido, para uma cidade de 50 mil moradores, a chegada de mais de 10 mil novos habitantes, vindos da Europa! Foi uma mudança e tanto. A capital da colônia começou a virar “gente grande”: ganhou bibliotecas, novos teatros, passeios públicos. A maior badalação!

    Com o crescimento das cidades, muita coisa mudou no Brasil. Muita gente saiu do campo e foi para a cidade, e 500 anos depois, é um país muito diferente …

    AS CIDADES CRESCEM

    Mesmo com essas mudanças, o Brasil continuou a ser um país basicamente agrícola. Em 1872, já na época do Império, somente 20% da população se dedicava ao setor de serviços ou à indústria. E o Rio de Janeiro permanecia sendo o único grande centro urbano, seguido por Salvador, Recife e Belém.

    A partir do final do século 18, depois de proclamada a República, em 1889, teve início o incrível crescimento de São Paulo, cidade que enriqueceu com o comércio do café e atraiu muitos imigrantes. Em apenas 10 anos (1890-1900), a população passou de pouco mais de 60 mil habitantes para quase 240 mil.

    A cara do Brasil urbano só começa mesmo a se definir, e muito rápido, a partir dos anos 50. Veja só quanta diferença: em 1940, a população urbana somava apenas 16% da população brasileira; mas em 1980 o número cresceu para 51,5%, quer dizer, a maioria das pessoas passou a morar nas cidades.

    Surgiu uma grande quantidade de indústrias, que atraíam muita gente com ofertas de emprego, e o setor de serviços teve um enorme crescimento. Enquanto isso, no campo, as máquinas substituíam muitos trabalhadores, que corriam para as cidades em busca de trabalho.

    UM PAÍS DO FUTURO?

    Olhando para trás, vemos quanta coisa mudou nos últimos 500 anos! Os índios, que eram os senhores da terra, hoje não podem bobear: precisam lutar por seus direitos a todo momento para que não sejam ainda mais explorados e dizimados. A colônia virou Império e depois República. Mas nunca conseguiu se livrar dos interesses estrangeiros dispostos a tirar suas vantagens…

    O povo brasileiro foi se formando através dos séculos, surgindo da mistura de negros, índios e brancos, criando sua própria cultura. Aos poucos, os brasileiros foram descobrindo seu próprio país. Primeiro se estabeleceram no litoral, depois se embrenharam país adentro, explorando o interior, a Amazônia e até construindo uma moderníssima capital, Brasília, em pleno descampado do Planalto Central.

    As cidades, que nos primeiros tempos dependiam do campo, onde se concentrava a maioria da população, ganharam cada vez mais importância a ponto de transformar o Brasil num país, hoje, essencialmente urbano.

    Com tantas mudanças, é impossível não se perguntar: como serão os próximos 500 anos?

    Compartilhe:
    Recommend on FacebookShare on OrkutTweet about itTell a friendLeia mais sobre História clicando aqui2 pitacos para “Datas Comemorativas – Descobrimento do Brasil”
    1. Rita de Càssia Cruz Passos disse:
    26 de dezembro de 2010 at 13:17
    Amei, simplismente adorei um espetàculo!

    Cybele Reply:
    dezembro 28th, 2010 at 12:21

    Olá Rita de Cássia, tudo bem?

    Muito obrigada pelo carinho.
    Este retorno é muito importante para o nosso trabalho.
    Que 2011 também seja maravilhoso para você e sua familia.
    beijinhos

    Deixe o seu comentário
    Nome (obrigatório)

    E-mail (não será publicado) (obrigatório)

    Site

    Soma de 6 + 10 ? 4

    Click to cancel reply

  22. Rita/Ritinha Diz:

    Bom venha e convenhamos , è tão necessàrio esta rincha de merda entre nòs??? para que e porque, Portugal està a passar uma crise financeira muito difìcil!! nèm queiram saber!! e nèm todos os Portugueses acham que brasileiros são malandros e nèm todas nòs as brasileiras somos tais putas!! não è bem assim!!! e as Portuguesas como às Brasileiras são mães lutadoras como nòs è que tàlvez não tenham tanta liberdade de expressar o que sentem realmente, pela educação muito rigida que tiveram, tenho amigas portuguesas, e amigas brasileiras e são maravilhosas e vivemos bem umas com as outras!! e muitas destas converssas me entristecem!! e a União Portugal & Brasil não è de hoje são apenas 5oo e poucos anos, e toda boa amizade pode haver desavenças!! beijocas

    • Elaine Cristina Gomes Diz:

      Senhores e senhoras, somos todos seres humano.atirem a primeira pedra,aquele que nao tem defeitos.Brasil X Portugal, ficam alguns soberbos se atracando,e se esnobando sobre seus respectivos paises, que degradante como seres racionais, querem que voces me apontem um pais que não tem defeito algum. procurem crescer como ser humano ,como diz um ditado brasileiro faça amor,não faça guerra, pare com estas ofensas, isto não vai levar a nada, ou talvez cresça como uma bola de neve sem controle,e o odio se espalhe como uma doença sem cura entre os dois povos. desejo as duas nações cada uma com sua beleza, com a sua importacia, no cenário mundial, e ao dois povos, de Brasil e Portugal se deem as mãos e caminhem juntos . para que possamos sermos felizes independente das nossa diferenças. fiquem com DEUS

  23. Anônimo Diz:

    Portugueses fedidos

  24. Ritinha de Càssia Diz:

    rsrsrsrsrsrsr eu cá curto andar com a pentilheira de fora e ao vento, depois gosto de fazer rolinhos com os dedos e encaracolar… poupem-me!!! està expressão è espetàcular!! parece reunião de amigas. rsrrsrsr

  25. Larissa Diz:

    Acho que os portugueses que se acham tão superiores deveriam passar um tempo no Brasil , para ver que a maioria das mulheres são mães e pais .. donas de casas trablhadoras , guerreiras e homens também .. deveriam conhecer nos brasileiros povos tão guerreiros .. e com tanta corrupção e tantas dificuldades somos FELIZES e de bem com a vida ..

    • Luana Diz:

      Eu não acho necessário. Primeiramente, porque não penso que TODOS os portugueses compactuem com a extrema ignorância de considerar toda a população feminina de um país como o Brasil, depravadas. Aqueles que assim pensam são, primeiramente, ignorantes e após, invejosos. Alimentam mentiras por interesses pessoais e baixa auto estima. Exemplo: mulheres inseguras, com medo de perder mais terreno no mercado amoroso de Portugal, do que já têm perdido. Isso é muito fácil de deduzir: difamar TODAS as brasileiras, as faz achar que estão a ganhar pontos no mercado afetivo de Portugal. Estas, mulheres, deveriam parar de agir assim e procurar se tornar mais interessantes como mulheres, pois, o engodo não se sustenta contra a verdade.
      Por isso, não acho que devamos ficar explicando para Portugal, o óbvio.

  26. Andréia Diz:

    Interessante notar que, nós, brasileiros de hoje, continuamos a receber estrangeiros que nos visitam, aqui no Brasil, com cordialidade, boa vontade e, porque não dizer, ingenuidade, assim, como nossos índios fizeram com Cabral e suas naus, em 1500.

    • A. Bernardo Diz:

      Andréia vê lá se não és descendente de portugueses…

      • Andréia Diz:

        Sou, sim! Mas, me referí à índole da maioria dos brasileros. E,não só em relação a Portugal, mas, a todos os estrangeiros.
        Bem quisera eu que isso fosse recíproco…
        Abraços..


  27. Gente, portugueses, brasileiros… sejam o que sejam. Eu sou paulistano, paulista, brasileiro. Meu pai é português, minha mae é portuguesa. Ora pois! Discutimos origem? Importa d’onde nasci? Discutimos instrucao? Discutimos religiao ou time de futebol? Os brasileiros “dizem” que os por.tugueses sao burros, qual o parâmetro tendo visto um país de gente ignorante? Os portugueses dizem que o Brasil é um país de gente pobre, qual o parâmetro se eu, nunca soube o que é pobreza e “venho” de um país potência. Acredito veemente que ambos poderiam ser perfeitamente amigáveis se ambos países nao tivessem tanta gente estúpida (nada têm a ver com ignorância). Vejam bem, todos podem ajudar-se! Um país “pequeno” como Portugal e um país “grande” como o Brasil… realmente é uma perda de tempo tudo isso. Eu, paulista que amo os 26 estados (mais o distrito (fuck) federal) e honro as bolas que tenho no meio das pernas a lutar por um país (entenda-se: mundo) melhor e leio toda essa discussao sem sentido, sinto-me – ainda por tudo que conheco – estúpido. Deixo-lhes porque, desculpe, a falta de humanidade faz-me mal.

    • Anônimo Diz:

      Pessoal… a vida tem muito mais para oferecer,do que opiniões acusadoras e mal tratantes, numa tentativa de superioridade cultural,pessoal ou de qualquer tipo.Sou português, já com uma caminhada pelo mundo e posso garantir
      que só pode opinar correctamente quem conhece um pouco de tudo.E conhecer culturas, nao é massacra-las , mas sim
      entende-las, no se convívio com as populações e discutir e recolher as opiniões que cada um tem ,sabendo ouvir e dialogar o que de mais importante cada um tem para dar como riqueza ,seja ela qual for . A isso se chama ser humano respeitando as opiniões dos outros
      , fazendo com que a nossa colaboração sirva para ajudar a um entendimento honesto e amigo. Conheço o Brasil desde 1989 e desde aí tenho tido uma estrita relação de respeito e amizade com o povo brasileiro, que como muitos disseram( brasileiros e portugueses ) existe de tudo , .o bom e o mau .Hoje o mais importante na vida é sermos honestos ,começando logo por cada um de nós.

      A.Vale

    • A advogada Diz:

      Somos um país de ignorantes, não burros, eh, eh! São coisas diferentes. Ignorância é falta de acesso ao conhecimento, já a burrice, é déficit neuronal. É diferente, ora pois!


  28. Sou brasileira, mas não estou aqui para tomar partido de um ou outro povo. Mas, em resumo, tanto lá como cá, os que aqui se auto conclamam os melhores, os mais inteligentes, os mais bonitos, os mais e mais, são apenas pessoas com problemas de baixa auto-estima, buscando a auto-afirmação. O dia que ter um corpo bonito estiver acima de um bom caráter… Que Deus nos proteja a todos! O dia que ser mais ou menos aberta ou recatada nos valer em nossas relações, que uma pessoa pense que sexo é tudo, e a outra que sexo não significa nada, mostra apenas o desequilíbrio das relações e o principal despareceu, o amor.De ladrões de galinha a ladrões dos altos escalões de governos, não é privilégio nem do Brasil nem de Portugal. Pessoas honestas, decentes, trabalhadores e estudantes, pais e mães de família, enfim, pessoas boas encontramos nos dois países. E é isto que todos aqui deveriam de valorizar. Porque dar ênfase a preconceitos, desavenças, promover discórdia entre nações? Tudo isso é absolutamente dispensável. Não acrescenta nada a vida de ninguém. Que tal conhecermos melhor a os nossos países? Descobrir belas histórias, belos exemplos? Sim, somos dois povos, e temos nossas diferenças. Se não, qual seria a graça de viajarmos a outros países? Leiam, conheçam, aprendam. Busquem conhecer. O conhecimento é maior inimigo do preconceito.

  29. Anônimo Diz:

    Paz e amor e execução aos politicos

  30. Ana Cristina Diz:

    Desculpem mas não há paciência para esta guerra. O Brasil é independente desde 1822. Muita água correu desde essa data em Portugal. A situação dos dois países não é comparável. A dimensão geográfica e demográfica do Brasil não é comparável com a de Portugal. Os brasileiros têm uma ideia de Portugal completamente estereotipada. Os portugueses ficaram com uma ideia do Brasil pior com a vinda de muitos brasileiros pouco qualificados para Portugal. Eu não sinto afinidades com os povos das ex-colónias. Eu sou filha da descolonização do pós 25 de Abril de 1974 e sou trineta ou tetraneta da descolonização brasileira. A minha realidade é portuguesa e europeia, não me sinto mais superior ou inferior por isso. Os meus amigos e as minhas referências são portugueses e europeus, foi assim que cresci, nessa realidade. Gosto da Europa, com todos os seus defeitos. Há muitos portugueses com atracção por África, eu não sinto nenhuma. Tudo o que eu conheço, gosto e me atrai está na Europa. Também me identifico com a cultura dos EUA em muitas coisas. Do Brasil gosto da música brasileira, sobretudo Chico Buarque, Vinicius de Moraes, Tom Jobim, a Bethânia, a Elis…E algumas novelas mais antigas, alguma literatura. Mas não sinto isso como um elo especial, o Brasil é um país como outro qualquer mas onde devido às circunstâncias históricas existe uma mesma raiz linguística que em PT. Não concordo que a minha língua seja a minha pátria, a minha pátria é onde está o meu coração e ele está aqui em PT, na Europa. Acho que uma boa parte dos portugueses se está borrifando para o que os brasileiros pensam deles e estranham o ódio, não o entendem. Na mente da maioria dos portugueses jovens a colonização é algo que está nos livros de história, não é a sua realidade. Por outro lado convivem com jovens de muitas etnias nas escolas e misturam-se. A xenofobia e o racismo existem mas não há essa coisa de termos sido colonizadores. Por isso quando os brasileiros vêm com essa conversa nós ficamos assim um bocado perplexos do tipo « qual é o problema galera»? O Cabral descobriu o Brasil? Ah sim? Pois…e o que é que eu tenho a ver com isso? os brasileiros dizem – Vocês roubaram o ouro do Brasil!! E nós pensamos – de que é que os gajos estão a falar? Qual ouro? Onde é que ele está? Também queremos!

    • Lourdes Diz:

      Eu não concordo em culpabilizar os portugueses atuais pelos atos dos seus antepassados. Para mim, ficou nos livros de história, também. Já o termos a mesma língua, para mim, é um fator de união, de vínculo. É estranho vc não sentir nenhum tipo de vínculo com o Brasil ou as ex-colonias, ainda que linguístico. Vc se identifica com a Europa e EUA, ou seja, com o primeiro mundo.
      Não é uma questão de status?

  31. Ana Cristina Diz:

    Mitos dos brasileiros 1) Os portugueses gostam todos de fado – piii! – chumbados! O fado não é amado por todos os portugueses, graças a uma nova geração de fadistas jovens a situação está a mudar. 2) Os portugueses têm todos uma farta bigodaça. eu acho que a memória dos brasileiros estagnou nos primórdios do século XX . As portuguesas não se lavam, têm bigode e são todas feias…esta é óptima!!! KKKKK
    Mito verdadeiro sobre o português é pessimista e vive lamentando a sina. Verdadeiro e chato isso. Um pouco de samba não nos faria mal nenhum! Ah e não somos todos padeiros, o pão português é uma iguaria, quando bem feito, mas não sei como se faz. Se tiverem a receita agradeço.

    • Luiza Castelar Diz:

      Sou brasileira e gosto de fado. Entretanto, alguns dos mitos que citaste são conhecidos globalmente, apenas, mais completos:

      - As portuguesas não se lavam, os portugueses também não;
      - As portuguesas têm bigode – de fato, o bigode dos homens caiu, o das mulheres ficou e, por fim
      - As portuguesas são todas feias – a maioria, nem todas.

  32. Rita Diz:

    Muita baixaria !!! de Luiza castelar , no Brasil tambèm existem pessoas que são porcas e não se lavam, estàs converssas não me dizem nada, gente feia existe em qualquer lugar do mundo, quanto ao bigode deixa estar è cultara, ponha aqui na net onde vives e o porque ??? pois se eu viver em um paìs que não me sinto bem eu arranco !!! bom dia e por favor responda com convicção!

    • Luiza Castelar Diz:

      Rita, eu ia me revelar, mas, vou me adiantar: a minha intenção foi divertir. Eu sou neta de portugueses e gosto muito dessa gente. Fisicamente me pareço com uma e sou considerada bonita. Não sei de onde veio este mito de que mulher portuguesa é feia, porque não procede. O povo portugues é bonito. E como disseste, todo país tem gente feia. Quanto à higiene, obviamente foi um brincadeira. Finalmente, sobre os bigodes, é fato que, na cultura árabe (e Portugal foi invadido por eles), o bigode tem um aspecto cultural importante para o homem, e as mulheres de modo geral os adquirem com os anos. Mas, é só depilar. Eu depilo o meu.
      Paz!

    • Luiza Castelar Diz:

      Em tempo: estou iniciando um tratamento fulminante prá bigode: laser. É fantástico!

    • Luiza Castelar Diz:

      Eu tenho uma amiga aqui no Brasil, que é neta de austríaco com italiano, loira e de olhos verdes. Ela também tem bigode. Só que loiro. O namorado dela vive reclamando que fica a arranhar o rosto dele, que não dá, é terrível…

  33. Anônimo Diz:

    jubbbg
    jjjhuloahjh
    maigtsw
    25236363281875-25258258.2532
    ……………………………………..lkofk

  34. Flávio Gonçalves Diz:

    Sou neto de portugueses e neto de índios,mas sou brasileiro por excelência,O sistema brasileiro é cruel todos sabem da má distribuição de renda sempre foi assim gerando pobreza para alguns e riqueza para outros,Somos malandros e fanfarrões gostamos de zueira,gritar,dançar,cantar mesmo com todas adversidades.Eu sinto orgulho do meu sangue português mas também sinto orgulho do sangue dos verdadeiros brasileiros os índios.
    Mas pergunto pq serà que nossa maravilhosas brasileiras são mal vista em Portugal?

    Agora entendem pq Portugueses e principalmente Espanhóis tem essa imagem das mulheres brasileira.
    Agora se os portugueses generalizam todas as mulheres são assim é burrice deles,mas acredito que não.
    SÓ LEMBRANDO BRASIL ESTÁ INDEPENDENTE DE PORTUGAL DESDE 1822 FAZ TEMPO NÉ.
    Eu tenho vontade de conhecer Portugal apenas para passear e conhecer os portugal e sua cultura
    ,Humildade e simplicidade é a filosofia de muitos brasileiros.

  35. Flávio Gonçalves Diz:

    A educação no Brasil tem interesse político em excluir a classe mais vulnerável,O sistema brasileiro têm como objetivo alienar a classe mais pobre o resultado é:Nem todos os brasileiros respondem da mesma forma a alienação.

  36. Flávio Gonçalves Diz:

    Meus caros amigos,acho que muitos brasileiros vão concordar comigo.
    Há muito tempo deixamos de fazer piada de portugueses,hj brincamos muito com os argentinos e vice-versa.
    Piadas de portugueses é do tempo de minha vó.

  37. Flávio Gonçalves Diz:

    Fazer uma analise do perfil dos brasileiros em Portugal é um grande equivoco.
    Para avaliar o perfil do cidadão brasileiro se faz necessário vim para o Brasil.
    Jamais vou julgar um cidadão português sem conhecer ou mesmo fazer uma analise de um imigrante português.
    O BRASIL É AMALDIÇOADO PELA NOSSA POLÍTICA,A NOVA GERAÇÃO DE BRASILEIROS ESTÃO DEIXANDO A PASSIVIDADE DE LADO E ESTÃO LUTANDO POR UM BRASIL MELHOR.VIRAM OS PROTESTOS EM PLENA COPA DAS CONFEDERAÇÕES O GIGANTE DA AMÉRICA LATINA ESTA DESPERTANDO.
    SOMOS ABENÇOADOS POIS O SOL SENTE MUITA SIMPATIA POR ESSAS TERRAS.
    HÁ BRASILEIROS BOBOS QUE FICAM HOSTILIZANDO GERAL VIA NET.
    FALO POR MUITOS BRASILEIROS SOMOS BONS ANFITRIÕES.
    SOBRE A VIOLÊNCIA BRASILEIRA É CULPA DOS CORRUPTOS QUE MANIPULAM A EDUCAÇÃO DA CLASSE MAIS POBRE.
    ISSO GERA ALGUNS CIDADÃOS BEM MALVADOS PODEM ACREDITAR.

  38. Flávio Gonçalves Diz:

    GOSTARIA DE CONHECER TODOS OS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA,PORTUGAL,ANGOLA,MOÇAMBIQUE……
    RACISMO GERALMENTE VÊM DA ELITE BRASILEIRA.
    BASTA DAR UMA OLHADA NOS PRINCIPAIS CANAIS DE TELEVISÃO,CONTE QTS NEGROS EXISTEM NA TV BRASILEIRA?TIRANDO OS ATLETAS DE FUTEBOL.

  39. Flávio Gonçalves Diz:

    A TELEVISÃO BRASILEIRA É UM LIXO,ELA TB É RESPONSÁVEL PELA MÁ EDUCAÇÃO BRASILEIRA.
    EU GOSTARIA DETER UMA CONVERSA AMISTOSA COM PORTUGUESES[AS].
    VEJO MUITOS BRASILEIROS SE QUEIXANDO SOBRE MAUS TRATOS EM PORTUGAL,ESPANHA,JAPÃO,ETÇ.
    MAS CONVENHAMOS MUITOS DE NÓS TAMBÉM AGIMOS COM HOSTILIDADE OU NOS MOSTRAMOS NEGLIGENTES COM BOLIVIANOS,NIGERIANOS,ANGOLANOS.
    XENOFOBIA É UM MAL GLOBALIZADO.


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

%d blogueiros gostam disto: